Que cola industrial escolher?

A cola, também conhecida por «adesivo», é um produto líquido ou pastoso que tem por função unir peças. Na indústria, as mais comuns são as colas sintéticas.

A cola é amplamente utilizada em operações de montagem nos setores automóvel, aeronáutico, da electrónica, da embalagem, da construção, da madeira, dos eletrodomésticos, bem como no setor têxtil e do calçado.

Entre os tipos de adesivos mais usados na indústria, encontram-se as colas epoxídicas, as colas de cianoacrilato e as colas de poliuretano.

Colas industriais: ver produtos

  • Como escolher uma cola industrial / estrutural?

    Ao escolher uma cola, deve-se começar por verificar se é compatível com os materiais a colar.

    Há, também, que levar em conta as condições ambientais, como a temperatura (mínima e máxima), a humidade do ar, a exposição aos raios UV, o eventual contacto com produtos químicos, tais como detergentes ou ácidos, a presença de poeiras que possam afetar a qualidade da colagem, etc.

    Além disso, a cola deve ser resistente às forças que lhe serão aplicadas (carga permanente, vibrações, impactos, cisalhamento, flexão, etc.) e, em particular, à descamação (resistência ao arrancamento).

    Em seguida, consoante pretenda efetuar uma fixação permanente ou desmontável, irá decidir se precisa de uma cola que possa ser dissolvida e, se for o caso, com que tipo de solvente.

    Deve, ainda, ter em atenção o tempo de ajustabilidade, ou seja, o período de tempo máximo durante o qual é possível reposicionar as peças após a aplicação da cola, assim como o tempo de cura (também chamado «de secagem»), isto é, o tempo de espera necessário até poder usar a peça final em condições normais. Regra geral, o tempo de ajustabilidade e o tempo de cura das colas bicomponentes é menor do que no caso das monocomponentes. A exceção é a cola de cianoacrilato, cujo tempo de cura é de apenas alguns segundos.

    Por último, certifique-se de que escolhe uma cola em conformidade com as normas aplicáveis à peça final.

    Verificar a compatibilidade com:

    • os materiais
    • as condições ambientais
    • os esforços a que será submetida
  • Quais os principais tipos de colas estruturais?

    Tipo de cola Materiais compatíveis Apresentação/Utilização Observações Campos de aplicação
    Epóxi
    • Vidro
    • Metal
    • Betão
    • Madeira
    • Borracha
    • Cerâmica
    • Porcelana
    • Couro
    • Policarbonato
    • Poliéster
    • PVC rígido
    • Poliuretano expandido
    • Película
    • Massa
    • Líquido, mono ou bicomponente
    • Termoendurecível
    • Boa resistência mecânica ao cisalhamento e à tração
    • Boa resistência a temperaturas extremas
    • Boa resistência química
    • Processo de colagem reversível
    • Inexistência de flexibilidade
    • Sensibilidade aos raios UV
    • Contração durante a polimerização
    • Preço elevado
    • Indústria aeroespacial
    • Indústria automóvel
    • Eletrónica
    • Indústria naval
    Cola acrílica
    • Metal
    • Policarbonato
    • Poliamida
    • Poliéster
    • Plástico
    • Massa bicomponente
    • Boa resistência mecânica à tração e ao cisalhamento
    • Alta capacidade de enchimento de folgas
    • Mecânica
    Cola acrílica anaeróbica
    • Metal
    • Termoendurecível
    • Massa monocomponente
    • Montagem de peças cilíndricas
    • Boa resistência à tração
    • Boa resistência a solventes
    • Resistência limitada ao calor
    • Mecânica
    Cola acrílica de cianoacrilato
    • Plástico
    • Polímeros
    • Cura rápida (cerca de 10 segundos)
    • Monocomponente, geralmente líquida ou em gel, usada para colagem de materiais porosos
    • Polimerização acelerada na presença de níveis mais elevados de humidade atmosférica
    • Colagem de pequenas peças
    • Uso exclusivo em superfícies planas
    • Boa resistência ao cisalhamento
    • Boa resistência a solventes
    • Uniões transparentes
    • Baixa resistência a temperaturas elevadas
    • Baixa resistência a impactos
    • Mecânica
    • Prototipagem
    • Eletrónica
    Cola de poliuretano (PU)
    • Vidro
    • Madeira
    • Borracha
    • Fixação rápida
    • Mono ou bicomponente
    • Uniões flexíveis
    • Colagem entre si de materiais diferentes
    • Grandes superfícies
    • Resistência à humidade
    • Nas colas monocomponentes, a polimerização requer um elevado nível de humidade no ar (cura lenta)
    • Boa resistência química
    • Boa resistência a temperaturas até 90ºC
    • Indústria automóvel
    • Carpintaria
    Cola de uretano
    • Borracha
    • Neoprene
    • Fixação lenta
    • Expansível
    • Monocomponente
    • Colagem entre si de materiais diferentes
    • Uniões flexíveis
    • Resistência à água
    • Setor náutico
    Cola de silicone
    • Vidro
    • Betão
    • Madeira
    • Borracha
    • Cerâmica
    • Porcelana
    • Metal
    • Poliamida
    • Poliuretano expandido
    • Monocomponente
    • Colagem de vidro a outros materiais
    • A polimerização requer um elevado nível de humidade no ar (cura lenta)
    • Boa capacidade de vedação
    • Boa resistência ao envelhecimento e às intempéries
    • Boa resistência a solventes
    • Permeável a gases
    • Carpintaria
    • Construção civil
    Cola de metacrilato (MMA)
    • Plástico
    • Metal
    • Termoplástico
    • Polímeros
    • Materiais compósitos
    • Madeira,…
    • Bicomponente
    • Cola transparente
    • Colagem à temperatura ambiente
    • Fixação rápida ou instantânea
    • Uniões transparentes
    • Dispensa tratamento prévio da superfície
    • Existe nas versões rígida, semirrígida e flexível
    • Colagem entre si de materiais diferentes
    • Resistência mecânica elevada
    • Boa resistência a impactos
    • Boa resistência a temperaturas baixas (até -40ºC)
    • Indústria aeroespacial
    • Indústria automóvel
  • Quando optar por uma cola epóxi?

    Poderá optar por uma cola epóxi se tiver de realizar montagens com alta resistência mecânica aos impactos, ao cisalhamento e/ou à descamação. Existem adesivos epóxi monocomponentes e bicomponentes.

    A cola epóxi monocomponente é um adesivo de cura a quente, a temperaturas entre 100ºC e 200°C. É preferível utilizar este tipo de cola se tiver um forno, um sistema de indução ou de infravermelhos, ou pelo menos uma pistola de ar quente para a fase de polimerização (isto é, de cura: secagem e endurecimento da cola), que pode levar entre 30 minutos e 2 horas. A cola epóxi monocomponente poderá substituir a soldagem, por exemplo, na união de ferramentas em carboneto de tungsténio.

    Se não dispusar de meios de aquecimento que lhe permitam realizar a cura, pode optar antes por um adesivo epóxi bicomponente. Estes têm a vantagem de endurecer à temperatura ambiente, sendo também possível usar uma fonte de calor para acelerar o processo. As colas epóxi bicomponentes apresentam-se geralmente em cartuchos duplos com um bico misturador estático, onde é feita automaticamente a mistura dos dois componentes. O tempo de vida útil da mistura varia de alguns minutos a algumas horas, consoante o adesivo epóxi utilizado. É importante que escolha a sua cola epóxi em função das características pretendidas, por exemplo no que diz respeito à transparência da união, à sua flexibilidade, à capacidade de enchimento de folgas entre substratos, etc.

    As colas epóxi podem ser divididas em três tipos, em função das características principais das uniões após o processo de cura:

    • As colas rígidas, que apresentam boa resistência ao cisalhamento e ótima durabilidade. São ideais para substratos rígidos e cargas estáticas elevadas.
    • As colas flexíveis, que têm boa resistência não só aos impactos e à descamação, como também às baixas temperaturas. Estes adesivos são usados principalmente para unir materiais diferentes que não possuam o mesmo coeficiente de expansão.
    • As colas tenazes, que combinam as qualidades dos adesivos rígidos e dos flexíveis.

    Três tipos de colas epóxi:

    • Colas rígidas
    • Colas flexíveis
    • Colas tenazes
  • Quando optar por uma cola acrílica?

    Cola acrílica da marca LOCTITE
    Cola acrílica da marca LOCTITE

    As colas acrílicas são utilizadas sobretudo para fixar materiais como o plástico, o vidro e a madeira a substratos metálicos. Oferecem uma boa resistência mecânica, ainda que inferior à dos adesivos epóxi, mas são geralmente mais baratas do que estes últimos.

    A cura das colas acrílicas monocomponentes é relativamente longa, demorando entre 5 e 30 minutos, mas pode ser acelerada por meio de aquecimento.

  • Quando optar por uma cola de poliuretano ou de uretano?

    Cola de poliuretano da marca PERMABOND
    Cola de poliuretano da marca PERMABOND

    As colas de poliuretano são amplamente usadas na construção civil, nomeadamente para colar placas de isolamento. São muito flexíveis, mas têm uma resistência mecânica limitada em comparação com as colas epóxi, especialmente se expostas a temperaturas ambiente elevadas.

    Os adesivos de poliuretano monocomponentes polimerizam por reação com a humidade atmosférica. Podem ser aplicados com uma pistola de ar quente, a fim de se reduzir o tempo de cura. Em ambientes com baixos níveis de humidade, recomenda-se o uso de uma cola de poliuretano bicomponente.

    Quanto às colas de uretano, são utilizadas principalmente para colar ou reparar materiais à base de borracha, como os fatos de mergulho.

  • Quando optar por uma cola de cianoacrilato?

    Cola de cianoacrilato da marca MASTERBOND
    Cola de cianoacrilato da marca MASTERBOND

    As colas de cianoacrilato são adesivos monocomponentes, líquidas ou em gel. Destinam-se principalmente à fixação rápida e apresentam uma boa resistência ao cisalhamento. À temperatura ambiente, a cura é quase instantânea.

    As primeiras colas de cianoacrilato eram líquidas, ideais para colar materiais rígidos, mas entretanto surgiram colas de cianoacrilato em gel, de média e alta viscosidade. As colas líquidas são utilizadas para ligar peças por ação capilar, penetrando no interior dos substratos. Já os adesivos em gel são particularmente adequados para superfícies verticais e para materiais porosos.

    A cola de cianoacrilato precisa de humidade para aderir à superfície. Portanto, se a superfície estiver totalmente seca, este tipo de adesivo não é eficaz. No entanto, é possível contornar o problema, humedecendo ligeiramente a superfície de modo a dar início ao processo de cura.

    Os adesivos de cianoacrilato são usados ​​para colar metal, fibra de vidro, cerâmica, cartão, borracha e plástico. De notar que, no caso de plásticos resistentes ao calor, é melhor utilizar uma resina epóxi.

    A desvantagem destas colas é a sua baixa resistência aos impactos e às altas temperaturas.

  • Quando optar por uma cola de silicone?

    As colas de silicone são adesivos flexíveis com alta resistência a esforços dinâmicos e boa capacidade de vedação. Apresentam, igualmente, boa resistência a solventes, a raios ultravioleta e a temperaturas altas. No entanto, não oferecem uma resistência mecânica muito elevada.

    Os adesivos de silicone monocomponentes necessitam de um elevado nível de humidade no ar para polimerizarem. Em ambientes com baixos níveis de humidade, é preferível optar por um adesivo com dois componentes.

    Resistência elevada:

    • a forças dinâmicas
    • a solventes
    • aos raios UV
    • a altas temperaturas
  • Quando optar por uma cola bicomponente?

    As colas bicomponentes, seja qual for a sua composição, têm a vantagem de não dependerem das condições ambientais para efeitos de polimerização. Como tal, se a mistura tiver sido realizada na proporção adequada, o tempo de cura indicado para o produto não varia.

    A mistura dos dois componentes pode ser realizada automaticamente no bico dos cartuchos ou então manualmente. Neste caso, há que ter atenção para se efetuar a dosagem correta dos componentes. Algumas colas bicomponentes libertam vapores mais ou menos tóxicos, pelo que é aconselhável a sua aplicação em locais bem ventilados.

    Vantagens:

    • polimerização não afetada por condições ambientais
    • tempo de cura estável
Guias relacionados
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...
Ainda não há comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será visível.