Que correia escolher?

As correias são elementos flexíveis usados na transmissão mecânica de potência entre dois ou mais eixos rotativos, geralmente paralelos. Também chamadas correias de transmissão, podem ter como função principal a transmissão de potência ou de movimento.

 

Correias: ver produtos

  • Como escolher uma correia de transmissão?

    Correia da marca MEGADYNE

    Os primeiros critérios a ponderar são as dimensões e o tipo de secção da correia. Mais adiante, apresentamos as diferentes secções de correia existentes no mercado, a par das vantagens e desvantagens de cada uma.

    A escolha da secção vai depender do tipo de aplicação, mais precisamente dos seguintes fatores:

    • binário (torque) a transmitir
    • velocidade de rotação
    • distância entre o centro dos eixos
    • relação de transmissão
    • temperatura de trabalho e tipo de lubrificação
  • Porquê optar por uma correia plana?

    Correia plana da marca Forbo Siegling
    Correia plana da marca Forbo Siegling

    A correia plana apresenta uma secção retangular, com espessura inferior à largura. Tal como as outras correias, permite transmitir uma potência mecânica de uma polia para outra. As correias planas asseguram um rendimento de 98%, sendo, porém, adequadas para forças pouco significativas. São muitas vezes montadas em polias abauladas, que previnem o descentramento da correia. Estas correias são utilizadas em inúmeras aplicações de transmissão de potência.

    Vantagens:

    • Combinadas com polias grandes, as correias planas e largas conseguem transmitir uma potência considerável a velocidades elevadas (até 373 kW a 51 m/s)
    • Rendimento de mais de 98%, superior ao da correia trapezoidal
    • Vida útil mais longa que a da correia trapezoidal
    • Funcionamento bastante silencioso
    • Admite uma distância maior entre o centro dos eixos

    Desvantagens:

    • Risco de deslocação da polia
    • Necessidade de se manter uma tensão elevada da correia
    • Tendência para o escorregamento sobre a superfície da polia quando lhe são aplicadas cargas pesadas

    A maioria das correias planas são feitas de borracha ou de um polímero sintético. Geralmente, consistem numa tira flexível cujas extremidades são unidas com ligadores metálicos (grampos) ou então soldadas. No entanto, também existem correias sem emenda, ou sem-fim, que são fabricadas numa só peça.

  • Porquê optar por uma correia trapezoidal?

    Correia trapezoidal da marca Timken Belts
    Correia trapezoidal da marca Timken Belts

    As correias trapezoidais, igualmente conhecidas por correias em V, são as mais utilizadas para a transmissão de potência. Transmitem uma potência mais elevada que as correias planas com tensão equivalente. São utilizadas, por exemplo, em variadores de velocidade. Estas correias oferecem a melhor combinação de tração, velocidade, carga suportada pelos rolamentos e tempo de vida útil.

    Vantagens:

    • A correia com secção em V encaixa-se nos canais da polia. É o chamado efeito de cunha, que evita o escorregamento e, por conseguinte, melhora a transmissão do binário.
    • É mais estreita que a correia plana, representando portanto uma solução mais compacta.
    • Requer menos pré-tensionamento.
    • Apresenta um rendimento ideal na faixa de velocidades entre 300 e 2 130 m/min.
    • Para aplicações que exijam potências elevadas, é possível instalar duas ou mais correias trapezoidais lado a lado, obtendo-se assim uma transmissão por correias múltiplas.

    As correias trapezoidais são fabricadas em borracha ou em materiais poliméricos simples ou então reforçados com fibras, que aumentam a sua resistência. Pode escolher-se entre fibras têxteis (como o algodão), de poliamida (como o nylon), de poliéster ou, caso se pretenda ainda maior resistência, de aço ou aramida (como o Kevlar).

    Nas situações em que uma correia sem fim não for adequada, pode optar-se por uma correia trapezoidal articulada. Na maioria dos casos, estas apresentam as mesmas características de potência e velocidade que as correias sem fim de tamanho igual e não necessitam de polias especiais. São fáceis de instalar e mais resistentes às condições ambientais do que as correias de borracha. Além disso, é possível acrescentar ou retirar elos a fim de ajustar o seu comprimento.

  • Porquê optar por uma correia estriada?

    Correia estriada da marca HUTCHINSON

    Como o nome indica, a correia estriada apresenta nervuras no sentido longitudinal, o que aumenta substancialmente a superfície de contacto entre a polia e a correia. O princípio de funcionamento destas correias consiste na aderência das estrias à polia. A sua estrutura em monobloco permite uma distribuição homogénea da tensão da correia sobre a superfície da polia.

    Vantagens:

    • Ampla faixa de potências (de 0 a 600 kW)
    • Maior durabilidade e fiabilidade
    • Elevada relação de transmissão possível
    • Estabilidade da tensão
    • Transmissão silenciosa

    A correia estriada é utilizada como correia de acessórios nos automóveis. Também se encontra em grandes eletrodomésticos (máquinas de lavar e de secar roupa), betoneiras, compressores, corta-relvas, etc.

  • Porquê optar por uma correia dentada (sincronizadora)?

    Correia dentada da marca Tempo
    Correia dentada da marca Tempo

    As correias dentadas, também conhecidas por correias sincronizadas ou sincronizadoras, são utilizadas, por exemplo, no acionamento de árvores de cames, nos sistemas de transmissão final de certos motociclos, bem como em inúmeras máquinas industriais e agrícolas. Com uma correia dentada, não existe escorregamento, ao contrário do que acontece com as outras correias, que estão sempre sujeitas ao descentramento devido à sua elasticidade, mesmo que estejam devidamente tensionadas.

    As correias de poliuretano são mais resistentes ao óleo, ao ozono, a vibrações e a baixas temperaturas que as de neoprene, e podem transmitir potências e binários mais elevados.

    Vantagens:

    • Sincronização do sistema e transmissão de movimento sem escorregamento da correia
    • Transmissão de potência por engrenamento, logo maior capacidade de suportar baixas velocidades e menor pré-tensionamento necessário
  • Quais as vantagens da transmissão por correia?

    Comparativamente a outros sistemas de transmissão (engrenagens, correntes, etc.), as correias apresentam diversas vantagens:

    • Mais flexíveis
    • Mais silenciosas
    • Não precisam de lubrificante
    • Não exigem um eixo paralelo
    • Proteção contra sobrecargas e obstruções
    • Mais eficientes (rendimento entre 95 e 98%)
    • De instalação e manutenção mais fáceis
    • A vida útil das máquinas é prolongada pela absorção de flutuações de carga
    • Menor custo total de instalação
    • Baixo custo de manutenção
    • Representam a opção mais económica se houver uma grande distância entre os eixos
  • Quais as desvantagens da transmissão por correia?

    Relativamente a outros sistemas de transmissão, as correias apresentam também certas desvantagens:

    • Não podem ser reparadas, pelo que, em caso de quebra ou de bloqueio, têm de ser substituídas.
    • Deterioram-se devido ao contacto com lubrificantes ou produtos químicos.
    • Normalmente, as temperaturas de trabalho estão limitadas à faixa de -35ºC a 85°C.
    • Os sistemas de acionamento por correia não são compactos.
    • É necessário tensionar a correia.
    • A relação de velocidade varia consoante o escorregamento da correia.
    • Permitem velocidades limitadas (cerca de 35 m/s).
    • A velocidade angular da transmissão por correia não é constante.
    • As correias têm uma transmissão de potência que não ultrapassa os 370 kW, o que contribui para a acumulação de calor.
    • Os sistemas de transmissão por correia exercem geralmente forças significativas sobre os eixos e os rolamentos.
    • Para compensar o desgaste e o esticamento das correias, é necessário adicionar uma polia de retorno ou ajustar a distância entre os eixos.
  • Quais as aplicações das correias?

    Uma das aplicações mais conhecidas das correias é o automóvel. Os automóveis têm uma correia de distribuição dentada para sincronizar os movimentos dos principais componentes do motor (válvula, pistões) e uma correia de acessórios, estriada, que aciona vários componentes periféricos: alternador, bomba de direção assistida, bomba de água, etc. Ainda no âmbito dos transportes, são também utilizadas nas bicicletas e nos motociclos. Além disso, as correias são comuns em inúmeras aplicações industriais que exigem transmissão de movimento ou de potência, particularmente em sistemas transportadores.

Guias relacionados
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...
Ainda não há comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será visível. Os campos de preenchimento obrigatório estão assinalados com *