Que serra escolher?

As serras são ferramentas utilizadas para cortar todo o tipo de materiais.

Existem diferentes tipos de serras, destinados a usos diversos:

  • Para um uso pontual, pode optar-se por uma serra manual.
  • Para um uso ocasional ou em espaços exíguos, uma serra elétrica portátil (com fio ou a bateria) constitui a melhor solução.
  • Para uso profissional, intensivo, é mais indicada uma serra móvel ou estacionária.

No caso das serras profissionais, certos modelos permitem adaptar um aspirador de poeiras e aparas.

Serras: ver produtos

  • Como escolher uma serra de fita?

    As serras de fita, ou serras verticais, são maioritariamente estacionárias, embora também existam modelos portáteis. Para escolher uma ferramenta adequada ao uso previsto, há que considerar a altura de corte pretendida, bem como o tipo de dentes da lâmina, que dependerá do material a cortar. Há serras de fita para madeira, para aço e para alumínio, por exemplo.

    A serra de fita é, sem dúvida, um dos equipamentos de corte mais versáteis, principalmente pela capacidade de corte de grandes espessuras, mas também porque permite realizar cortes quer curvos quer retos. De um modo geral, as serras de fita são ideais para cortes grosseiros, para corte de folheados e encaixes, ou ainda para cortar tiras finas a partir de grandes peças de madeira.

    Este é, igualmente, o tipo de serra a privilegiar para o corte grosseiro de metais, com vista à obtenção de peças mais pequenas para posterior maquinação ou forjamento.

    Ao escolher uma serra de fita, é importante dimensionar corretamente os volantes, responsáveis pela transmissão de potência do motor para a lâmina. Os volantes devem ser devidamente equilibrados a fim de reduzir as vibrações e assegurar o movimento preciso da lâmina.

    A maioria das serras para madeira não está equipada com variador de velocidade, ao contrário das que se destinam ao corte de metais.

  • Como escolher uma serra circular?

    Serra circular da marca ALFRA

    Para cortar peças com um comprimento significativo e uma profundidade de corte de alguns centímetros, pode optar por uma serra circular.

    Algumas serras circulares podem ser utilizadas com mesas de trabalho inclináveis a fim de realizar cortes oblíquos. Existem também serras de imersão, chamadas por alguns fabricantes “serras de incisão”, que permitem iniciar o corte a meio de uma peça.

    As serras circulares oferecem precisão de corte, graças à rigidez do seu disco, e um acabamento de elevada qualidade, em particular quando são usadas com um disco de dentes de metal duro para cortar aços de alta liga ou aços inoxidáveis.

    As serras circulares de bancada permitem uma maior produtividade devido à alta velocidade de rotação do disco, sobretudo quando se realiza trabalhos em série, em que não é necessário alterar os parâmetros de corte, como a posição dos batentes, a altura do disco, etc.

    De um modo geral, as serras circulares são mais caras do que outros tipos de serras, como, por exemplo, as serras de fita, mas pode valer a pena optar por esta tecnologia se pretender uma boa qualidade de corte.

    Vantagens da serra circular:

    • elevada precisão de corte
    • acabamentos de alta qualidade
    • maior produtividade
    • design compacto
  • Serra de fita ou serra circular?

    Poderá preferir uma serra de fita a uma serra circular por várias razões:

    • Lâmina de menor espessura, que arranca menos material e realiza um corte mais fino.
    • Menor consumo de energia elétrica.
    • Versatilidade e maior profundidade de corte, que na serra circular é limitada pelo diâmetro do disco.

    A serra circular, por sua vez, também tem vantagens inegáveis:

    • Cortes de elevada precisão e com bom acabamento.
    • Alta velocidade de corte.
    • Mais adequada ao corte de certos materiais, como a cerâmica.
    • Mais compacta do que uma serra de fita.
  • Como escolher uma seccionadora?

    Seccionadora Laguna Tools

    A seccionadora, também designada “serra circular para painéis”, consiste numa serra circular associada a uma grade de apoio com um sistema de guias deslizantes.

    As seccionadoras podem ser verticais ou horizontais.

    • Seccionadora vertical: a grade onde se apoia o painel apresenta uma ligeira inclinação, para maior estabilidadade da peça. O painel permanece fixo e o operador pode fazer deslizar a serra na vertical ou na horizontal. Os painéis têm de ser posicionados manualmente neste tipo de serras.
    • Seccionadora horizontal: a serra é fixa e o operador movimenta os painéis a cortar numa mesa deslizante. O carregamento e descarregamento dos painéis pode ser efetuado manualmente ou por meio de um sistema motorizado.

    A escolha do diâmetro do disco de corte e das dimensões da mesa da seccionadora irá depender, respetivamente, da profundidade de corte pretendida e do comprimento e largura dos painéis a cortar.

  • Como escolher uma serra de esquadria?

    Serra de esquadria da Milwaukee

    Existem diferentes modelos de serras de esquadria, ou serras de meia‑esquadria. Para além das manuais, mais adequadas a um uso pontual, no mercado encontram‑se igualmente serras de esquadria elétricas portáteis, móveis e estacionárias, equipadas com um disco de corte ou com uma lâmina tipo fita.

    As serras de esquadria permitem efetuar, com elevada precisão, cortes em ângulos de 90° a 45°.Certos modelos propõem ajustes até 30° ou mesmo inferiores. Os cortes angulares são bastante usados na preparação de perfis que se destinam a ser unidos, nomeadamente para caixilhos de portas e janelas, junção de rodapés em cantos, etc.

    Com algumas serras de esquadria, é possível ajustar a inclinação da lâmina e realizar cortes em bisel. Existem, ainda, serras com braço extensível, para serrar perfis de maior espessura. Os modelos com laser para marcação da linha de corte são os que oferecem maior precisão. Recomendamos estes modelos caso necessite de alterar regularmente o comprimento de corte. Caso contrário, uma serra com batentes ajustáveis será suficiente.

    Ao escolher uma serra de esquadria, tenha em atenção a sua capacidade de corte em profundidade e largura, que irá ditar a secção máxima que poderá cortar.

  • Como escolher uma serra Tico-Tico?

    Serra Tico-Tico AEG

    As serras Tico-Tico, ou serras de recortes, são serras elétricas portáteis para corte de placas e painéis.

    O ângulo de corte é determinado pela inclinação da lâmina em relação à sua sapata, que vai assentar na peça. Contudo, como a inclinação não é muito precisa, é preferível reservar este tipo de serra para cortes a 90º.

    A capacidade de corte das serras Tico-Tico corresponde à altura da lâmina recolhida que passa da sapata mas, em geral, pode dizer-se que não vai além dos 100 mm. Tanto mais que a sua lâmina flexível não permite realizar cortes em espessuras maiores sem perda de qualidade e de precisão.

    A serra de recortes serve para efetuar cortes grosseiros, sendo preferível escolher outro tipo de ferramenta para trabalhos de acabamento, como uma serra circular se se tratar de cortes em linha reta.

    A lâmina destas serras descreve um movimento pendular, ou seja, recua ligeiramente quando sobe, o que reduz o seu aquecimento e afasta as aparas da zona de corte. Algumas serras de recortes permitem ajustar ou mesmo desativar este movimento, nomeadamente quando se pretende cortar um material frágil.

    O ataque da lâmina poderá deixar rebarbas na aresta da face superior da peça. Por isso, convém virar para baixo o lado que irá ficar visível e escolher uma lâmina própria para o material a cortar.

    As serras Tico‑Tico vêm equipadas com um variador de velocidade, que permite adaptar a velocidade ao tipo de material: quanto mais duro o material, menor deverá ser a velocidade utilizada.

  • Como escolher uma serra de sabre?

    Serra de sabre Ingersoll Rand

    A serra de sabre, ou serra recíproca, é como um serrote convencional, mas dotado de um motor elétrico ou pneumático.

    É, geralmente, utilizada para realizar cortes grosseiros em espaços exíguos, por exemplo, em trabalhos de demolição ou na poda de árvores.

    Permite serrar diferentes tipos de materiais, como madeira, PVC, tijolo, betão celular, cobre, aço, etc., dependendo das características da lâmina (maior ou menor flexibilidade, forma dos dentes).

    A sua lâmina flexível torna-a ideal para efetuar cortes irregulares ou em locais de difícil acesso.

    No mercado, encontra serras de sabre elétricas quer com fio quer a bateria. Se optar por um modelo com fio, tenha sempre em consideração o comprimento do cabo elétrico. Se escolher uma serra de sabre sem fio, assegure-se de que a autonomia da bateria é adequada ao uso previsto e tenha sempre consigo uma segunda bateria.

  • Como escolher uma serra manual?

    Há muitos tipos de serras e serrotes manuais disponíveis no mercado. De seguida, referimos os mais comuns.

    • Serrote convencional: consiste numa lâmina presa lateralmente ao cabo e é utilizado sobretudo para madeira.
    • Serra de arco para metais: a lâmina é fixada e tensionada em ambas as extremidades de uma estrutura em U.
    • Serrote de costas: graças ao reforço na parte superior da lâmina, oferece maior precisão de corte do que o serrote convencional. Só pode ser utilizado para cortar peças de espessura reduzida.
    • Serrote de ponta: é semelhante ao serrote convencional, mas tem uma lâmina estreita e comprida com dentes finos, ideais para cortar materiais delicados, como o gesso cartonado.
    • Serra de rodear, ou arco de serra tico-tico: possui uma lâmina muito fina presa às duas pontas do arco (como a serra de arco para metais), o que permite efetuar cortes de contornos complexos, mas limitados pela distância entre a lâmina e o arco.

    Principais tipos de serras manuais:

    • serrote
    • serra de arco para metais
    • serrote de costas
    • serrote de ponta
    • serra de rodear
Guias relacionados
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...
Ainda não há comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será visível.