O salão online da indústria

Que grupo gerador escolher?

Os grupos geradores de energia, também chamados grupos eletrogéneos, são utilizados para produzir eletricidade. São, essencialmente, constituídos por um motor e por um gerador elétrico (alternador) montados numa mesma estrutura. Podem ser usados como fonte principal ou auxiliar de energia para fornecer alimentação elétrica, com grande fiabilidade e alta eficiência, em todos os tipos de aplicações, incluindo as mais exigentes.

Grupos geradores de energia: ver produtos

  • Como escolher um grupo gerador de energia?

    Para escolher um grupo gerador adequado às suas necessidades, é necessário conhecer a potência total consumida pelos equipamentos que serão ligados ao grupo gerador e o tipo de alimentação dos mesmos (monofásica ou trifásica). Tem também de determinar se precisa de um equipamento móvel ou estacionário. Deverá ainda escolher o tipo de motorização, por exemplo: motor a gasolina se pretender adquirir um gerador de pequenas dimensões e baixa potência, motor a diesel se necessitar de um grupo eletrogéneo de potência elevada, motor ou turbina a gás se dispuser desta fonte de energia e preferir um equipamento mais económico e menos poluente. Por último, deve decidir se irá precisar de um sistema de regulação da tensão. A sua função é estabilizar a tensão de saída, de modo a evitar danos nos equipamentos elétricos ligados ao grupo gerador.

    Critérios de escolha:

    • Potência total
    • Tipo de alimentação
    • Motorização
    • Mobilidade
  • Que potência escolher?

    De modo a calcular a potência necessária para o seu grupo gerador, deve conhecer não só a potência nominal dos equipamentos a alimentar em simultâneo, mas também a potência máxima consumida pelos mesmos (ou potência de pico), sobretudo no arranque. Por exemplo, o consumo de um motor elétrico, ao arrancar, pode ser até três vezes superior à sua potência nominal. Logo, o grupo gerador deve ter capacidade para fornecer a potência de pico consumida pela totalidade dos equipamentos que irão arrancar ao mesmo tempo. Assim, no caso de equipamentos resistivos (iluminação, televisão, pequenos eletrodomésticos, etc.), deverá acrescentar-se um fator de segurança de 30% para calcular a potência máxima necessária do grupo gerador a adquirir. Se se tratar de equipamentos indutivos (motores elétricos), a potência nominal destes deve ser multiplicada por três, para se contar com os picos de consumo.

    Para os grupos eletrogéneos trifásicos, a potência é indicada em quilovolts-amperes (kVA) e designada potência aparente. Para os que fornecem corrente contínua ou monofásica, a potência é indicada em kW e e designada potência ativa.

    A diferença entre o kVA e o kW advém da defasagem entre as ondas de tensão e de corrente. Esta é denominada fator de potência e representada por cos φ (cos fi). Para calcular a potência ativa de um grupo gerador, multiplique a potência aparente pelo fator de potência. Por exemplo: 1 kVA x 0,8 = 800 W (a maioria dos geradores apresenta um fator de potência de 0,8).

    Geralmente, os fabricantes de grupos geradores indicam a potência contínua e a potência máxima, correspondendo esta última a uma sobrecarga de cerca de 20% da potência contínua, que pode ocorrer por um tempo limitado.

  • Que motorização escolher?

    Os grupos geradores de energia estão equipados com um motor de combustão interna. Dependendo das suas necessidades e do tipo de combustível de que dispõe, poderá escolher um equipamento com motor a gasolina, a diesel ou a gás:

    • Os grupos geradores a gasolina geralmente ocupam pouco espaço, são versáteis e pouco ruidosos. São, na maioria, equipamentos monofásicos de baixa potência (até 6 kW).
    • Os grupos geradores a diesel são mais adequados para uma utilização prolongada ou mesmo contínua no exterior, por exemplo, em obras de construção. O seu uso é mais económico que o dos grupos eletrogéneos a gasolina de potência equivalente. Consoante os modelos, poderão gerar corrente monofásica, trifásica ou mista.
    • Se dispuser de uma fonte de alimentação de gás, poderá preferir um grupo gerador com motor a gás, na medida em que estes são mais económicos, mais fáceis de usar, menos ruidosos e menos poluentes do que os equipamentos a gasolina ou a diesel. Apresentam potências até 12 kW e podem ser monofásicos ou trifásicos.

    Se necessitar de mais potência, poderá optar por um grupo gerador com turbina. Estes equipamentos são apropriados tanto para necessidades constantes de eletricidade, em que apresentam um ótimo rendimento, como para picos de consumo súbitos.

    Motorização:

    • Motor a diesel
    • Motor a gasolina
    • Motor a gás
    • Turbina a gás
  • Quais são os tipos de arranque de um grupo gerador?

    Os grupos geradores de baixa potência (até 3 kW) possuem muitas vezes um sistema de arranque (partida) manual, o puxador de arranque. Não recomendamos este tipo de sistema se o grupo eletrogéneo que pretende adquirir se destinar a uma utilização frequente.

    Os grupos geradores mais potentes vêm geralmente equipados com um sistema de arranque elétrico ligado a uma bateria.

  • Grupo gerador monofásico ou trifásico?

    Para uso doméstico, até 18 kW, poderá optar por um grupo gerador monofásico, a não ser que haja equipamentos com grande consumo de energia, como as bombas de calor.

    Para uso profissional, precisará muito provavelmente de um grupo gerador trifásico, capaz de fornecer eletricidade a máquinas que requeiram mais potência.

    Alguns grupos eletrogéneos trifásicos estão equipados com tomadas monofásicas. Independentemente do número de tomadas, a potência máxima do grupo gerador não deve ser ultrapassada. Quando o grupo eletrogéneo tiver duas ou mais tomadas monofásicas, é importante respeitar o equilíbrio entre as fases, distribuindo os equipamentos pelas tomadas, em função da potência consumida por cada um deles.

  • Que outras características ter em conta?

    Há outras características que podem influenciar a escolha de um grupo gerador:

    • Regulação de tensão: os grupos geradores mais baratos não têm sistema de regulação da tensão de saída. Sem este, os equipamentos ligados ao grupo eletrogéneo poderão sofrer danos, especialmente se os seus componentes eletrónicos forem sensíveis a sobretensões. Recomendamos, portanto, a escolha de um grupo eletrogéneo com regulador automático de tensão (AVR), a fim de evitar eventuais danos nos seus equipamentos.
    • Tecnologia “inverter”: esta permite não só ajustar a velocidade do motor ao consumo dos equipamentos a ele ligados, como também garantir o bom funcionamento do grupo gerador.
    • Sistema de arrefecimento: os grupos geradores de baixa potência são refrigerados a ar e não são concebidos para funcionar em contínuo. O fabricante pode incluir nas especificações técnicas do produto a autonomia total do grupo eletrogéneo, assim como o tempo de autonomia em modo de funcionamento contínuo e o tempo de paragem necessário ao arrefecimento. Alguns modelos de maiores dimensões estão equipados com um circuito de arrefecimento líquido.
    • Mobilidade: os grupos geradores mais pequenos são geralmente portáteis, pesando cerca de 20 kg. Os modelos um pouco maiores são ditos móveis, por estarem equipados com rodas, que facilitam a sua deslocação. Os grupos geradores de alta potência estão disponíveis em modelos transportáveis, dotados de uma estrutura própria para serem transportados por uma empilhadeira. Também existem modelos em contentores. Certos grupos eletrogéneos não são projetados para serem movidos depois de instalados, sendo por isso chamados estacionários, ou fixos.
    • Nível de ruído: este pode ser um fator determinante para o conforto dos utilizadores e das pessoas em volta. O ruído gerado por um grupo eletrogéneo de alta potência pode chegar facilmente aos 100 decibéis (dBA). Se este for um critério importante para si, saiba que tem a possibilidade de optar por um grupo gerador insonorizado.
  • Quanto custa um grupo gerador de energia?

    O preço de um grupo gerador depende dos parâmetros abaixo indicados, bem como das opções e configurações disponíveis.

    Motorização Potência nominal Saída Faixa de preços
    Gasolina 0,7 kW – 2 kW Monofásica 200 € – 1 500 €
    Gasolina ou diesel 3 kW – 10 kW
    (3,75 kVA – 12,5 kVA, com cos φ = 0,8)
    Monofásica / Trifásica 300 € – 4 000 €
    Diesel 12 kVA – 250 kVA Trifásica 4 000 € – 20 000 €
    Gás 7 kW – 16 kW Monofásica 4 000 € – 8 000 €
Guias relacionados
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...
Nenhum comentário

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *