Que conexões de tubos escolher?

As conexões são acessórios de ligação indispensáveis para a montagem de tubos e mangueiras em instalações industriais. Também chamadas junções, acoplamentos, uniões ou simplesmente ligações, são utilizadas nas mais diversas indústrias, mas também em muitas aplicações do nosso dia a dia, como máquinas de lavar roupa, automóveis, etc.

Dada a diversidade de tipos de conexões, nem sempre é fácil escolher o produto mais adequado ao uso previsto. Elaborámos este guia de compra para o ajudar na sua escolha.

Conexões: ver produtos

  • Como escolher uma conexão para tubos?

    Acoplamento pneumático STÄUBLI

    Para escolher a conexão mais adequada ao uso previsto, deverá ter em conta o tipo de conexão, as condições ambientais, o tipo e as características do fluido e os materiais compatíveis com a aplicação.

    • Tipo de conexão: de engate rápido ou não, para ligação desmontável ou permanente. É essencial verificar a acessibilidade do local onde pretende instalar a conexão, tanto para efeitos de montagem como posteriormente de manutenção, a fim de escolher o formato mais adequado: conexão reta, cotovelo, Tê, etc.
    • Condições ambientais: há que ter em conta a temperatura ambiente e, em particular, grandes variações de temperatura, bem como a humidade atmosférica, o risco de congelamento, de exposição aos raios ultravioleta ou à chuva, o risco de projeções de água ou lama, o grau de proteção necessário para conexões que serão usadas em áreas de risco, as vibrações, o risco de impactos, etc.
    • Tipo e características do fluido: terá de escolher uma conexão adaptada ao tipo de fluido (ar comprimido, ar, água, óleo, etc.), à temperatura e à pressão de serviço, assim como ao caudal necessário, que depende do diâmetro nominal da tubagem.
    • Assegure-se de que opta por uma conexão em conformidade com as normas técnicas aplicáveis à instalação em causa, se for o caso.
    • Materiais: o material de fabricação da conexão (aço inoxidável, latão, plástico, etc.) e o do sistema de vedação (nitrilo [NBR], borracha fluorada [FKM], borracha de etileno [EPDM], etc.) devem ser compatíveis com o material de que são feitos os tubos a unir e com a aplicação prevista.
  • Quais os principais tipos de conexões?

    Conexão para combustível da ELAFLEX

    Existem vários tipos de conexões, sendo que a escolha vai depender essencialmente da aplicação prevista. Referimos, em seguida, os mais utilizados.

    • Conexões rápidas, ou engates rápidos: há diferentes sistemas de fixação rápida.
      • Fixação por garra: são conexões utilizadas para tubos de polímero. Basta empurrar o tubo para o fixar e pressionar um botão para o soltar. O tubo pode ser encaixado num pino tipo espigão, roscado ou então soldado. Estas conexões são geralmente bastante compactas.
      • Fixação por pinça: são conexões muito robustas, ideais para ambientes agressivos e para pressões de serviço elevadas. São utilizadas principalmente com tubos metálicos com ranhuras.
      • Fixação por pinça invertida: oferecem dupla vedação e desmontagem segura. Resistem a pressões muito elevadas.
    • Conexões roscadas: podem ser desmontadas, geralmente com uma chave. Convém verificar se, após a instalação, sobra espaço suficiente para poder desmontar a conexão, caso seja necessário.
    • Acoplamentos Guillemin: são bastante utilizados nas indústrias química, petroquímica e alimentar, bem como no setor dos transportes e na agricultura. São constituídos por duas partes simétricas que se unem uma à outra por rotação. Podem ser montados nas mangueiras de diferentes maneiras, por exemplo, por meio de um pino tipo espiga, de uma rosca macho, de uma rosca fêmea ou então soldados. Os acoplamentos Guillemin são considerados um tipo de conexão roscada; para os montar e desmontar, é preciso uma ferramenta específica. Estão disponíveis em alumínio, aço inoxidável, latão, bronze e polipropileno.
    • Conexões soldadas e conexões prensadas (ou crimpadas): são ligações permanentes, utilizadas nomeadamente em circuitos hidráulicos.
  • Quando optar por um engate rápido?

    Engates rápidos da RTC Couplings

    Hoje em dia, os engates rápidos são conexões de elevada fiabilidade. Constituem a solução ideal para montagem e desmontagem frequentes, uma vez que permitem realizar estas operações de forma bastante prática, sem qualquer ferramenta. Ao escolher um engate rápido, é importante verificar qual o sistema previsto para fixar as duas partes da conexão aos tubos ou mangueiras: roscado, prensado (crimpado) ou encaixado.

    O preço destas conexões é relativamente elevado. Se não for necessário desmontá‑las e montá‑las regularmente, é preferível optar por uma conexão roscada.

  • Quando optar por uma conexão roscada?

    Conexão roscada da AIGNEP

    As conexões roscadas são adequadas para aplicações que exijam, por exemplo, operações de manutenção pontuais em que seja necessário desmontar a conexão.

    De um modo geral, é preciso uma chave para montar e desmontar as uniões roscadas, mas há modelos concebidos para serem roscados à mão. A maioria das conexões roscadas possuem juntas de vedação.

  • Quando optar por uma conexão soldada ou prensada?

    Conexão prensada da EFFEBI

    As conexões soldadas e as conexões prensadas (crimpadas) são particularmente adequadas para instalações permanentes, como circuitos de abastecimento de água. Destinam‑se a ser instaladas em tubos de latão ou de cobre.

    São as conexões mais económicas, pois não necessitam de sistemas de vedação nem possuem elementos mecânicos. Contudo, a sua instalação é mais complexa, exigindo uma certa competência para ser feita corretamente e resistir ao tempo e ao uso.

  • Como escolher o material da conexão?

    O material da conexão terá de ser compatível com o do tubo em que aquela será instalada e com o tipo e as características do fluido.

    Vácuo Ar comprimido Água à temperatura ambiente Vapor Líquidos alimentares Lubrificantes Líquidos e gases inertes Líquidos e gases corrosivos
    Aço x x x x
    Inox x x x x x x
    Alumínio x x x
    Polímero x x x x
    Policarbonato x x x
    Latão / cobre x x
    Latão niquelado x x x x
  • Como escolher uma conexão roscada?

    Ao escolher uma conexão com rosca, assegure‑se de que esta é compatível com a já existente na tubulação.

    Em primeiro lugar, verifique o sentido da rosca: as mais comuns são as roscas direitas, que se roscam no sentido dos ponteiros do relógio, mas também há roscas esquerdas, utilizadas, por exemplo, em botijas de gás ou para aplicações em que uma rosca direita poderia desapertar‑se com mais facilidade.

    Por fim, é importante conhecer as designações normalizadas.

    • Rosca métrica ISO: este é o tipo de rosca mais corrente. A vedação é assegurada por um O-ring ou por uma anilha na rosca fêmea. As roscas cilíndricas são identificadas pela letra M, seguida do diâmetro nominal em milímetros e do passo também indicado em milímetros (por exemplo, M8x1). Para ligações em circuitos de gás, a rosca exterior cilíndrica é identificada pela letra G e a rosca interior cónica pela letra J.
    • Rosca americana UN: é uma rosca cilíndrica. O diâmetro é expresso em polegadas e o passo é indicado em número de fios por polegada. As letras UNC designam as roscas de passo normal e as letras UNF as roscas de passo fino.
    • Rosca americana NPT: trata-se de uma rosca exterior cónica, revestida por um elemento de vedação, como a fita de PTFE (Teflon), para impedir eventuais fugas. A rosca NPTF é semelhante, com a diferença de que não necessita de um elemento de vedação.
    • Rosca BSP: é uma rosca específica para o gás. Pode ser cilíndrica (BSPP) ou cónica (BSPT). A vedação é assegurada, no primeiro caso, por um O‑ring ou por uma anilha na rosca fêmea e, no segundo caso, por um elemento vedante que reveste a rosca macho, como por exemplo fita de Teflon.
  • Como escolher o formato da conexão?

    O formato da conexão deve ser escolhido tendo em conta as características da instalação. Estes são alguns dos formatos mais correntes.

    • As conexões retas permitem unir dois elementos no seguimento um do outro.
    • Os Tês permitem realizar derivações.
    • As conexões designadas cotovelos e joelhos permitem ligar dois tubos em ângulo.
    • As uniões de redução são utilizadas para fazer a ligação entre dois tubos de diâmetros diferentes. Permitem reduzir o caudal do fluido.
    • As conexões giratórias permitem unir dois tubos em ângulo, qualquer que seja a sua amplitude.
Guias relacionados
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...
Ainda não há comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será visível. Os campos de preenchimento obrigatório estão assinalados com *