Que monitor industrial escolher?

Os monitores industriais são concebidos para ter maior durabilidade e suportar condições adversas em aplicações industriais e comerciais. Existem numa grande variedade de tamanhos e resoluções, e as opções de montagem são múltiplas: embutida, em rack, open frame, etc. Os ecrãs industriais podem ser táteis ou não. Os modelos táteis estão disponíveis com tecnologia resistiva (sensível à pressão) ou capacitiva (sensível ao toque).

Monitor industrial: ver produtos

  • Como escolher um monitor industrial?

    Ao escolher um monitor industrial, é fundamental levar em conta o ambiente de trabalho onde será utilizado, bem como a aplicação final. Haverá respingos? Poeira? Uma boa iluminação? O tipo de montagem (em rack, embutida, etc.) é igualmente importante. Qual o tipo de ecrã tátil mais adequado à sua aplicação e qual o grau de proteção necessário?

    Com base nas condições do ambiente de trabalho e na aplicação prevista, poderá tomar uma decisão quanto às seguintes características:

    • Tamanho e formato (proporção) do ecrã. Considera-se o tamanho do ecrã na diagonal (em polegadas) e a relação largura:altura. Os formatos 6:9 e 4:3 são os mais correntes, mas existem também ecrãs de 5:4 e 16:10.
    • Resolução do ecrã. Corresponde ao nível de detalhe da imagem e é indicada em píxeis.
    • Brilho (luminosidade). É a intensidade luminosa do ecrã. Se o ecrã não tiver brilho suficiente, terá problemas de visualização em plena luz do dia. Se, por outro lado, o brilho for demasiado intenso, pode tornar-se incomodativo ou mesmo doloroso. O brilho é expresso em candela por metro quadrado (Nit em inglês). O brilho padrão é de cerca de 250 cd/m². Note-se que hoje em dia podemos optar por um ecrã «legível sob a luz solar» (sun readable), recomendado para ambientes com iluminação intensa. Estes ecrãs devem ter um brilho superior a 1 000 cd/m2.
    • Robustez do ecrã. A robustez é a capacidade de resistência do ecrã a condições severas de utilização, com vista a evitar curto-circuitos e infiltrações no seu sistema. A escolha do tipo e do grau de proteção faz-se com base na exposição prevista do monitor a respingos (de água, óleo, solventes, etc.), a impactos ou a projeções mais agressivas em atmosferas potencialmente explosivas (ver parágrafo abaixo sobre os tipos de proteção).
    • Integração e fixação do monitor. A norma VESA define as medidas para a fixação do monitor: as dimensões dos furos, os parafusos a utilizar, bem como a posição dos furos na parte posterior do monitor.
    • Ecrã tátil ou não. Os ecrãs táteis são cada vez mais utilizados. Se optar por um, terá de analisar cuidadosamente as condições ambientais do local onde será instalado e usado.

    Principais características

    • Tamanho e formato (proporção)
    • Resolução
    • Brilho (luminosidade)
    • Robustez
    • Integração e fixação
    • Ecrã tátil ou não
  • Qual a tecnologia mais adequada para o seu monitor industrial?

    • Os monitores LCD (Liquid Crystal Display) utilizam píxeis com retroiluminação, exibindo uma imagem de qualidade razoável, com baixa densidade do preto e dos tons de cinza. O sistema de retroiluminação torna os monitores LCD grandes e pesados. Os ecrãs LCD consomem muita energia, mas os seus preços são bastante acessíveis.

     

    • Os monitores LED (Light Emitting Diode) são dos mais comercializados hoje em dia. A imagem é muito precisa e uniforme. Os ecrãs LED são iluminados por díodos que emitem luz quando lhes é aplicada corrente elétrica, o que proporciona melhor qualidade de imagem e melhor contraste. Além disso, esta tecnologia permite uma economia de energia de cerca de 30% comparada com os ecrãs LCD. Os ecrãs LED são um pouco mais caros que os LCD, mas os seus preços são, ainda assim, acessíveis.

     

    • Os monitores OLED (Organic Light-Emitting Diode) oferecem atualmente a melhor qualidade de imagem. São compostos por uma substância química que se ilumina quando entra em contacto com uma corrente elétrica. Distinguem-se pela profundidade de campo e nuances de cores sem igual noutras tecnologias. São também os mais finos e mais leves e consomem pouca energia. Porém, o seu preço é bastante mais elevado.

     

    • Os monitores de plasma, comparados com os LCD, têm melhor qualidade de imagem, capacidade para produzir mais tons de cinza e de preto e uma profundidade de campo mais elevada. Os ecrãs de plasma medem, no mínimo, 107 cm, significando isto que são bastante grandes. Também consomem mais energia do que os LCD. Como se trata de uma tecnologia mais antiga, o preço destes monitores é relativamente baixo.

    Tipos de tecnologia

    • LCD
    • LED
    • OLED
    • Plasma
  • Que tipo de ecrã tátil escolher?

    Monitor da marca Vecow
    Monitor da marca Vecow

    Existem dois tipos de ecrãs táteis, consoante a tecnologia usada:

    • Nos ecrãs resistivos, a superfície é formada por duas camadas condutoras separadas por uma camada isolante. Quando o utilizador aplica pressão no ecrã, as duas películas condutoras entram em contacto, permitindo a passagem de corrente elétrica entre elas nesse ponto. O sistema vai, então, detetar uma variação da resistividade nas camadas condutoras e calcular as coordenadas do toque no ecrã. Incontornáveis em inúmeras aplicações (GPS, jogos de vídeo, caixas registadoras, agendas eletrónicas, etc.), estes ecrãs podem oferecer maior precisão do que os capacitivos e respondem a qualquer tipo de pressão, seja ela aplicada com uma caneta stylus, com o dedo (com ou sem luvas), com a unha, etc. Apresentam resistência à água, à gordura e a poeiras. Por outro lado, são mais vulneráveis a riscos e, de um modo geral, a quaisquer danos causados por objetos pontiagudos. Têm também um tempo de resposta mais longo e que tende a aumentar com o uso. Por último, os ecrãs resistivos são menos transparentes, o que causa uma perda de 20 a 25% do brilho do ecrã e, dado serem compostos por várias camadas, podem gerar reflexos indesejados.

     

    • Nos ecrãs capacitivos, há uma película que cobre a placa de vidro do ecrã tátil e que acumula cargas elétricas. Quando o utilizador pressiona essa película, dá-se uma transferência de carga para o dedo, criando uma lacuna mensurável (o campo eletrostático é interrompido) nesse ponto da camada. Os sensores determinam, então, as coordenadas do ponto de contacto. Se pretender um ecrã multitoque, deverá optar pela tecnologia capacitiva projetada. Como esta apresenta maior sensibilidade ao toque, funciona mesmo com ecrãs mais espessos. Como tal, é possível proteger a superfície tátil, cobrindo-a com uma película de vidro rígida altamente resistente. Os ecrãs capacitivos apresentam muitas vantagens, entre as quais a sua robustez e a resistência a riscos, tendo também maior transparência e intensidade luminosa do que os resistivos (90% de transparência, em comparação com 75% nos resistivos). A sensibilidade do ecrã também é superior, bastando um leve toque na superfície tátil para se obter uma resposta imediata. A desvantagem da tecnologia capacitiva é ser impossível utilizá-la com luvas.
  • Que tipos e graus de proteção selecionar para o seu monitor industrial?

    Monitor da marca Pepperl+Fuchs
    Monitor da marca Pepperl+Fuchs

    O monitor industrial que escolher deverá atender às exigências da sua aplicação, mas também às normas de segurança aplicáveis ao seu setor de atividade. Estas definem diferentes tipos e graus de proteção possíveis para o seu equipamento:

    • Classificação IPxx: o primeiro dígito do Índice de Proteção (IP) indica o nível de proteção do equipamento contra a entrada de partículas sólidas e o segundo o nível de proteção contra líquidos. Geralmente, os monitores industriais têm proteção IP65 ou IP67. É, ainda, possível escolher entre uma proteção integral «Full Ipxx» (todos os lados do equipamento estão protegidos) ou parcial, em que apenas o painel frontal está protegido.
    • Classificação IKxx: o índice IK diz respeito ao grau de proteção que os equipamentos elétricos possuem contra impactos mecânicos externos, expressos em joules. Este índice é composto por um número de dois dígitos que indica a equivalência a um impacto com determinadas características. Por exemplo: xx=01 => equipamento protegido contra impactos até 0,15 joule (equivalentes à queda de uma massa de 150 g de 10 cm de altura). O código IK00 significa que o equipamento não tem qualquer tipo de proteção deste tipo.
    • Diretivas ATEX: as diretivas ATEX dizem respeito à proteção dos trabalhadores em locais onde exista risco de formação de atmosferas explosivas. Há monitores industriais que cumprem os requisitos ATEX, concebidos para utilização em áreas onde haja risco de explosão. As diretivas ATEX distinguem as zonas com concentração de gases e vapores (zonas 0, 1 e 2) das zonas com concentração de poeiras (zonas 20, 21 e 22).
    • A MIL-STD-810G/F é uma norma norte-americana que indica a robustez de um equipamento. Inicialmente elaborada para o exército dos EUA, é agora utilizada no domínio comercial para indicar a adequação de um dispositivo às condições ambientais.
  • Conectividade do monitor: o que escolher?

    • Porta VGA analógica: é a saída de vídeo mais utilizada, existente em praticamente todos os monitores industriais, mas só permite obter um sinal analógico, não sendo adequada para resoluções muito altas.
    • Porta VGA-DVI: trata-se de uma evolução da VGA, que permite obter sinais analógicos e digitais. Tal como a VGA, a ligação é reforçada por dois parafusos, impedindo que o cabo se desligue facilmente.
    • Porta HDMI e Display Port: são cada vez mais correntes, nomeadamente nos equipamentos destinados ao público em geral. Neste caso, todos os sinais digitais (áudio e vídeo) passam por um mesmo cabo. Têm a capacidade de transmitir resoluções muito elevadas.
    • Porta LVDS: é a mais adequada para monitores embutidos. O monitor está ligado à placa gráfica por fios de cobre e permite a transferência de dados a alta velocidade.
    • Porta S-Video: utilizada para sinais de vídeo analógicos que transmitem separadamente o brilho e a cor.
    • Conector BNC: transmite sinais de vídeo em modo analógico e permite igualmente a transmissão de áudio. Pode ser utilizado para ligações analógicas ou digitais, para ligar antenas ou para testes eletrónicos. Também é usado nas redes Thin Ethernet (igualmente designadas thinnet e 10Base2). É um conector elétrico usado como terminal do cabo coaxial, na maioria das vezes na área da radiofrequência.
  • Qual o tipo de montagem mais adequado?

    Pode escolher um monitor para ser montado na parede ou num suporte, ou ainda para ser integrado num sistema. Os monitores já trazem os furos de fixação de acordo com a norma VESA. Esta norma define igualmente os tipos de parafusos a utilizar (M4, M6 ou M8) e a sua posição.

    No caso dos monitores integrados, dispõe de várias opções de montagem:

    • Panel mount: monitor a embutir num quiosque multimédia, num quadro elétrico, num painel de instrumentos, etc. As fixações não são visíveis, uma vez que se encontram na parte de trás do dispositivo.
    • Rack mount: monitores para montagem em rack de 19”. O ecrã é fixado pela frente, com quatro parafusos, à moldura do rack de 19 polegadas.
    • Flush mount: idênticos aos panel mount mas com fixações visíveis.
    • Open frame: monitor sem caixa nem moldura, possuindo apenas um chassi de metal não revestido, ao qual se encontram aparafusados todos os componentes internos. Tem a vantagem de lhe permitir adaptar uma moldura ou uma caixa à sua escolha.
Guias relacionados
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...
Ainda não há comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será visível. Os campos de preenchimento obrigatório estão assinalados com *